10 aspectos a verificar antes de adotar um animal de estimação



adoção de um animal de estimação traz consigo muitas responsabilidades, pelo que deverá ser uma decisão bem ponderada e em família. O novo animal de estimação não é um brinquedo, tem as suas necessidades e estas nunca deverão ser ignoradas.

Antes de mais, há que ser realista: terá a família capacidade para cuidar devidamente de um animal? Será o animal de estimação adotado de forma temporária ou como um ser inferior? Se a resposta a estas perguntas for negativa, deverá admitir-se que, de momento, a família não está preparada nem tem disponibilidade para cumprir com os deveres de um animal. Fique a conhecer 10 aspetos a verificar antes de adotar um novo animal de estimação.

1. É BOA IDEIA ADOTAR UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO NESTE MOMENTO?

A adoção de um animal de estimação traz consigo uma grande responsabilidade que todos os familiares deverão assumir. É preciso verificar se o animal encaixa ou não no agregado familiar e, como tal, não deverá tomar uma decisão por ímpeto. Discuta a decisão em família.

2. QUE RESPONSABILIDADES EXTRA TEREI?

É necessário pensar como vai fazer nas alturas de ausência ou de férias e/ou no caso de o animal de estimação ficar doente. Quais os custos associados ao cuidado prestado ao animal, entre outras questões importantes.

3. QUE ESPÉCIE DE ANIMAL DE ESTIMAÇÃO É ADEQUADA?

Agora que tem uma noção das suas obrigações, compromissos e tempo disponível para cuidar do respetivo animal de estimação, está na hora de investigar os cuidados que cada espécie necessita. Poderá, inclusivamente, perguntar a outras pessoas que também adotaram animais ou pedir ajuda a um veterinário. Não se esqueça, o seu animal de estimação deverá ter uma vida digna e isso nunca deverá ser colocado em causa.

4. COMO ADOTAR UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO?

Em alguns casos não há outra escolha que não a compra de um bichano numa loja de animais específica. No entanto, se for caso disso, pense seriamente em adotar um animal que está abandonado num canil ou gatil. Poderá adotar um animal de estimação já com alguma idade ou doente para que este tenha um resto de vida digna. Se gosta de animais, não compre, adote!

5. QUEM CUIDARÁ DO ANIMAL DE ESTIMAÇÃO?

Idealmente, os cuidados com os animais de estimação deverão ser deveres de todos os habitantes da casa, pelo que deverão criar métodos de organização para a divisão e não sobreposição de tarefas. Faça uma lista de todos os cuidados que o animal de estimação precisa e distribua os papéis entre todos.

6. TODOS TÊM CAPACIDADES PARA LIDAR COM O ANIMAL DE ESTIMAÇÃO?

Pondere bem se é boa ideia inserir um animal de estimação num ambiente familiar. Alguns animais de estimação poderão não ser adequados para lidar com crianças, por exemplo, enquanto outros serão perfeitos para esse efeito. Cada animal tem a sua personalidade e esta nunca deverá ser ignorada.

7. COMO IRÁ LIDAR O NOVO ANIMAL DE ESTIMAÇÃO COM OUTROS ANIMAIS JÁ ADOTADOS?

Se já tem animais de estimação em casa, deverá certificar-se de que o animal já residente estará disposto a partilhar o seu habitat. Por outro lado, também deverá avaliar se o novo animal de estimação é amigável para com os outros animais já existentes.

8. A CASA ESTÁ PREPARADA PARA RECEBER UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO?

Chegou a hora de identificar as necessidades que o seu animal de estimação precisa. Comece por pensar em espaço para movimentação, gaiolas, aquários ou reptilários. Saiba que existem requisitos mínimos para que o animal de estimação tenha uma vida digna e estes devem ser respeitados ao pormenor.

9. O QUE É PRECISO COMPRAR?

Cada espécie de animal de estimação tem as suas necessidades. Pense na cama, mecanismos de alimentação e bebedouro, arranhador (no caso dos gatos), brinquedos, luzes e filtros para o aquário (no caso dos peixes), entre outras coisas. Faça uma pesquisa e pergunte ao veterinário para que saiba tudo o que é necessário.

10. COMO INTRODUZO O ANIMAL DE ESTIMAÇÃO EM CASA?

Quer tenha outros animais em casa ou no quintal, saiba que o novo animal de estimação sentirá receio por estar num ambiente estranho. Esteja preparado e tenha paciência até conseguir ganhar a sua confiança.
Agora que tem uma lista de ideias a ponderar, poderá adotar um animal de estimação de forma responsável. Lembre-se: um animal não é um brinquedo, ele tem necessidades e exige obrigações e é por isso que a sua adoção é um compromisso para a vida.

O primeiro animal de estimação, qual deve ser?



Trazer para o vosso lar um novo elemento, é um passo que deve ser ponderado e levado com a seriedade que merece. Quando adoptam um animal de estimação não é só trazer para casa um novo amigo, é assegurar que o novo elemento da família é cuidado e acarinhado para o resto da vida.

QUE ANIMAL SE ENCAIXA NAS VOSSAS VIDAS?

Adoptar um animal é muito mais do que comprar um, é ter a responsabilidade de alimentar um cão ou gato ou outro animal de estimação corretamente, cuidar dele e providenciar o ambiente necessário ao seu bem-estar. Antes de colocarem o vosso coração num determinado tipo de animal considerem todas as opções disponíveis, e tentem decidir que tipo de animal de estimação se adequa ao vosso estilo de vida e personalidade.

COMPRAR OU ADOPTAR

Existem inúmeros animais que estão sem lar e que acabam por ser abatidos se ninguém os adoptar. Considerem, em primeiro lugar este cenário: se realmente quiserem uma raça específica, antes de decidirem comprar um animal, visitem a associação local de animais, pois mesmo animais de raça são abandonados, podendo conseguir o que pretendem gratuitamente.

VISITEM AS ASSOCIAÇÕES DE ANIMAIS LOCAIS

Antes de tomarem a vossa derradeira decisão visitem as associações de animais locais, e tentem conviver com os diferentes tipos de animais. Conversem com os voluntários pois eles saberão auxiliar na escolha do animal certo para vocês. Por vezes um animal só necessita de um lar temporário, desta forma poderão “experimentar” o que é ter um animal a viver convosco, sem terem de se comprometer para a vida.

QUE TIPOS DE ANIMAIS ESCOLHER

Existem sempre os tradicionais cães e gatos, mas não deixem de considerar pássaros, peixes, porquinhos-da-índia, hamsters ou coelhos. Cada um destes animais necessita de um tipo de cuidado distinto incluindo mais ou menos atenção. Talvez começarem com um peixe num aquário e depois irem evoluindo e aumentando a responsabilidade, possa ser uma solução.

ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO BEBÉS OU ADULTOS

Um gatinho ou um cachorro podem parecer mais apetecíveis que um animal adulto mas por vezes um animal adulto já está treinado, sendo de mais fácil adaptação, necessitando também de menos cuidados que um animal mais jovem.
Independentemente do animal que seleccionarem, não façam disso um passatempo; encarem este projecto com a responsabilidade e atenção que merece. Tal como tudo na vossa vida, este será um passo que vos marcará e que marcará as vossas vidas, pode ser de uma forma positiva ou negativa, só depende de vocês.

Como remover manchas e pêlo dos animais de estimação de casa



Ter um animal de estimação é o máximo, são uma boa companhia e, acima de tudo, fonte de amor incondicional. Mas como tudo, também têm desvantagens, especialmente os de 4 patas pois largam pêlo e por vezes sujam onde não deviam. Descubram algumas dicas para vos ajudar a manter a casa limpa, mesmo com animais de estimação à mistura.

DIMINUIR O PÊLO DOS ANIMAIS NAS DIFERENTES SUPERFÍCIES

O grande problema dos animais de estimação é o pêlo que deixam espalhado pelo chão da casa, mobília e roupas. Para evitar que os pêlos se incrustem nos locais onde o vosso animal de estimação costuma permanecer mais tempo, coloquem uma toalha ou um pequeno lençol no local onde o animal costuma descansar, e periodicamente sacudam-no no exterior para remover a maioria do pêlo, antes de o colocarem na máquina de lavar. Para diminuir o problema do excesso de pêlo também devem escovar o vosso animal periodicamente.

REMOVER PÊLO DOS ANIMAIS NA ROUPA

Se tiverem pêlos dos animais na roupa, usem um rolo adesivo, é muito funcional e muito barato. Coloquem rolos adesivos em diversos locais da casa, como no armário à saída de casa, nos roupeiros, perto do sofá, para poderem sempre remover o pêlo dos animais da roupa rapidamente.

LIMPAR PÊLO DOS ANIMAIS NAS CARPETES

Para remover o pêlo do animal de estimação das carpetes e tapetes, aspirem diversas vezes durante a semana, usando a potência máxima do aspirador. Optem por um aspirador de grande eficiência, usualmente de saco, que tenha incluído um filtro de ar HEPA para uma maior eficiência e para remover os ácaros.

PÊLO DOS ANIMAIS EM SOALHOS E OUTRAS SUPERFÍCIES

No soalho de madeira, ou noutro tipo de chão duro, o ideal será usarem uma mopa eletrostática. Este tipo de “vassoura” é mais eficiente em chãos lisos, como o chão de madeira ou flutuante, do que o aspirador, pois tem a vantagem de não espalhar o pêlo.   

ELIMINAR PÊLOS DOS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO NOS SOFÁS E CADEIRAS.

Nos sofás, cadeiras e poltronas usem o aspirador com a ferramenta especial que vem com ele, para aspirar, pois este utensílio é bem mais eficiente do que aspirar apenas com o tubo do aspirador. Escovas de veludo e esponjas secas, usualmente à venda nos supermercados ou lojas de animais, também são boas opções para remover o pêlo dos animais de estimação dos sofás. 

MANCHAS DE ANIMAIS - LIMPEZA RÁPIDA

Quanto mais depressa limparem uma mancha provocada por um animal, melhor. A urina dos animais de estimação quando depositada nas carpetes, se não for limpa de imediato torna-se numa mancha permanente. Os sólidos removam-nos com uma lâmina de uma faca usada apenas para esse feito.

USEM LÍQUIDO DE LAVAR A LOIÇA

Para limparem uma mancha na carpete, com um pano seco absorvam a mancha de urina, e depois de absorverem o máximo possível, embebam um pano numa solução de ¼ de colher de chá de líquido de lavar a loiça dissolvido numa chávena de água morna. Limpem a mancha da carpete com uma alternância entre a toalha embebida na água com sabão de loiça e uma toalha seca, até a mancha de urina desaparecer. Para manchas mais escuras ou odores persistentes, o melhor é mesmo limparem a carpete com um aspirador a vapor, ou pagarem a um profissional para o fazer.

6 coisas que devem considerar antes de ter um cão



Fazendo jus ao popular e nobre título de “o melhor amigo do homem”, um cão é tudo isso e muito mais… por isso mesmo, antes de decidirem levar para casa um fiel amigo de quatro patas, estes são 6 aspetos que devem ter em conta e levar muito seriamente.

1. TÊM ESPAÇO SUFICIENTE?

Um cão é um animal cheio de energia e com vontade de correr e brincar. Isto significa que precisam de espaço suficiente para acomodar, confortavelmente e em segurança, um cão. Vivem num apartamento ou numa moradia com jardim? A dimensão da vossa casa pode e deve ser um bom indicador do tamanho do cão que podem ter em casa ou não. Reflitam bem neste aspeto antes de tomar uma decisão, pois, provavelmente ainda terão de preparar e/ou reorganizar o espaço antes de levar o cão para casa.

2. TÊM TEMPO?

Passam muito tempo em casa ou não? Um cão que passa horas ou dias a fio sozinho não será, certamente, um cão feliz. Um cão saudável necessita de interação humana, brincadeiras e, claro, de ser levado à rua! Se são um casal que passa pouco tempo em casa, talvez um cão não seja o animal de estimação mais adequado.

3. TÊM VONTADE E ENTREGA?

De nada serve terem muito tempo disponível se não têm vontade de se dedicarem ao vosso cão, dando-lhe amor, carinho e miminhos, reservando tempo exclusivo para brincarem, fazerem exercício físico e passearem juntos. Quem tem um animal de estimação, principalmente aqueles mais ativos como os cães, tem de se entregar de corpo e alma.

4. CACHORRO OU CÃO ADULTO?

Quem consegue resistir a um adorável e pequeno cachorro? Quase ninguém! No entanto, saibam que um cachorro requer, nos primeiros tempos, muito mais trabalho do que um cão adulto: pode chorar durante várias noites seguidas, tem de ser treinado em termos de adestramento e de morder tudo o que apanha pela frente… entre muitas outras coisas irritantes! Concluindo, um cachorro exige mais trabalho, disponibilidade e paciência do que um cão adulto, que pode até já vir treinado. Este fator também deve pesar na vossa decisão.

5. EM QUE TIPO DE CONDIÇÕES CLIMATÉRICAS VIVEM?

A escolha de um cão também pode depender das condições climatéricas do local onde vivem, ou seja, se pretendem que o cão seja um animal de estimação de exterior, certifiquem-se que o clima da vossa área de residência seja compatível com essa ideia. Mesmo que a resposta seja sim, necessitarão de um espaço resguardado/casota para acomodar confortavelmente e em segurança o cão.

6. QUAL A VOSSA DISPONIBILIDADE FINANCEIRA?

Ter um animal de estimação, em geral, e um cão, em particular, requer alguma disponibilidade financeira. Entre alimentação, produtos de higiene, brinquedos, artigos de passeio e consultas de veterinário, um cão é uma despesa extra para qualquer orçamento e é importante que exista uma fatia disponível para o animal de estimação. Pesquisem e façam contas antes de tomar a decisão final.

10 alimentos que um gato não deve comer



Mimarem o vosso gato é normal e muito apreciado, quer pela vossa pequena bola de pelo, quer por vocês quando este retribui os mimos… porém, evitem mimar o gato com alimentos que não são adequados à dieta recomendada para os felinos. Não sabem quais os alimentos que podem ser prejudiciais para os gatos? Continuem a ler…
  1. Laticínios: começando pelo leite de vaca e passando por todos os outros produtos derivados do leite, nenhum deve ser ingerido pelos felinos, pois, a maioria dos gatos é intolerante à lactose. Como se manifesta esta intolerância? Maioritariamente através de vómitos e diarreia, por isso, estejam atentos! 
  2. Café e chá: no fundo, qualquer bebida/alimento que contenha cafeína pode ser fatal para um gato e a intoxicação por cafeína pode manifestar-se através dos seguintes sintomas, quase todos irreversíveis: agitação, tremores, convulsões, respiração ofegante e palpitações cardíacas.
  3. Uvas frescas e uvas passas: as uvas, sejam frescas ou secas, são especialmente venenosas para os gatos, podendo causar danos irreversíveis aos rins. Se suspeitarem que o vosso gato possa ter ingerido estes frutos, estejam atentos a reações como: letargia, vómitos, sede anormal, quantidades excessivas de urina.
  4. Tomates: sabiam que os tomates podem ser tóxicos para os gatos? Contendo solanina – um glicoalcalcalóide tóxico que, mesmo ingerido nas mais pequenas quantidades, pode ser fatal para um gato – os tomates não são indicados para consumo. Devem estar atentos aos principais sinais de alerta: vómitos, diarreia, comportamento desorientado e paralisia.
  5. Abacate: tal como os cães, também os gatos não devem, em circunstância alguma, ingerir abacate, uma vez que a existência da toxina “persin” nesta fruta, afeta negativamente o sistema digestivo e o músculo cardíaco dos gatos. Os efeitos secundários comuns passam por letargia, dificuldades respiratórias, diarreia e vómitos.
  6. Cebolas e alhos: alimentos extremamente potentes quando em contacto com o organismo de um gato, as cebolas e os alhos danificam de tal forma as células vermelhas que provocam anemia. Os principais sintomas incluem: vómitos, urina vermelha e fraqueza.
  7. Bebidas alcoólicas: embora dispense qualquer explicação, saibam que a ingestão de álcool por parte de um gato pode ser muito grave, uma vez que estas bebidas atacam, de forma perigosa, o sistema nervoso dos gatos. Os efeitos secundários são vários: vómitos, diarreia, falta de coordenação, letargia, tremores, problemas respiratórios, convulsões e até estados de coma ou a morte se a quantidade ingerida for muito elevada.
  8. Massa de pão: o que torna a massa de pão perigosa para o vosso gato? O facto de ainda estar cru! Se for ingerida, o mais certo é que a fermentação ocorra no estômago do gato, causando dores abdominais, inchaço, letargia, desorientação, convulsões e até estados de coma ou a rutura do estômago/intestinos.
  9. Chocolate: extremamente tóxico se ingerido por um gato, o chocolate estimula, de forma negativa, o coração e o sistema nervoso o que, por sua vez, traduz-se em sintomas como temperatura corporal elevada, batimento cardíaco irregular ou acelerado, sede anormal, tremores, vómitos, agitação e convulsões. 
  10. Xilitol: este adoçante artificial está presente numa enorme variedade de guloseimas, pastilha elástica e alguns alimentos dietéticos. Se for consumido por um gato, registar-se-á um aumento na circulação de insulina o que, por sua vez, irá baixar os níveis de açúcar no sangue, levando à insuficiência hepática. Os primeiros sintomas de alerta podem incluir: vómitos, letargia e falta de coordenação motora.